Novidades dos Parceiros | 2018


Oi oi gente!!

No mês de Janeiro e Fevereiro, o blog fechou parceria com alguns autores, blogs e também passamos na seleção da editora Contexto. 

Claro, que esse ano o blog recebeu muitos "Não" das editoras, porque como todos vocês já devem ter percebido, as editoras/agências literárias estão indo atrás dos instagrammers do que blogs.

Autores


Daya Alves    (entrevista aqui)
Edmac Trigueiro    (em breve entrevista)
Mary Oliveira    (em breve entrevista)
Lídia Rayanne    entrevista aqui
Raigor L. Ferreira  (em breve resenha)

Blogs


Editora


A Editora Contexto tem uma história e muitas histórias. Desde 1987, a Contexto esteve sempre amparada na missão de diminuir a distância existente entre o saber produzido na Universidade e seus possíveis consumidores, estabelecidos em diferentes pontos da sociedade brasileira. Daí a preocupação, desde o início, de produzir livros de alta qualidade, sempre com uma escrita fluente, clara, agradável. A Editora surgiu de um sonho amadurecido pelo seu fundador, Jaime Pinsky, ao longo de sua vida como professor da UNESP, da USP e da Unicamp, tendo sido montada inicialmente em sua casa. Além de ajudar, sua família teve que pagar o ônus de um sonho: o depósito ficava na sala de jantar, a composição, na sala de visitas, a garagem foi transformada em recepção e secretaria, a revisão ficava numa salinha dos fundos e a direção, no escritório.  

Então, essas foram as parcerias do inicio do ano. Espero que tenham gostado de conhecer os autores novos. Em breve posto as resenhas das obras de cada um...

Beijoss, e até a próxima!

Resenha: Quinze Dias do Vitor Martins.


 Oi gente!!! hoje vim falar desta leitura: brasileira, legal e leve que aborda um assunto um pouco dificil; aceitação com o corpo, bullying e homosexualiadade. Vitor foi feliz em escrever este livro.


Autor(a): Vitor Martins
Editora: Globo Alt
Paginas: 294
Onde encontrar: Saraiva 


Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática. Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho. Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.

 Ser o patinho feio da turma e ainda passar 15 dias com o amor da sua vida? o que era pra ser as férias do inverno virou cada dia um teste. Felipe é super timido, e ainda gay? passar esses dias com o Caio pra ele se iniciou como tortura. Esse é o primeiro livro de um yotuber que eu leio, confesso que valeu bastante a pena. O livro é muito pra adolescentes, foi naturalmente escrito de forma contagiosa, e é uma história simples, ele pegou uma situação cotidiana e transformou isso em auto estima, timidez e ansiedade. Ele trata o assunto de uma maneira muito leve, eu realmente gostei. Trás bastantes discussões de uma forma legal. É um livro muito otimista, Felipe é um cara muito gente boa o Caio mais fechado, de ínicio mal fala com o seu vizinho, mas depois de 15 dias isto muda.


             O mundo inteiro é seu.

Felipe teve 15 dias para tomar coragem.
Ele passa por muitos dilemas, mas sabe o que é incrivel? é que mesmo você sendo gordo, magro, hétero ou gay, você se identifica com cada página, além de dar ótimas risadas com o Drama de Felipe. e sua mãe, que é muito louca, engraçada e maravilhosa, porque ela aceita seu filho como ele é.

Não se apaixone por uma pessoa que não faça você se sentir lindo.

Se for pra se apaixonar, escolha aquele que enxerga sua beleza por dentro, leia esse livro e se dê uma oportunidade pra ver como as coisas realmente acontecem. :) um cheiro.

Raissa.

Resenha: Não Pare!, da FML Pepper


Oi oi gente!!

Um dos livros que me surpreenderam no ano de 2017 foi o livro Não Pare!, da FML Pepper. Esse é o primeiro livro da trilogia Não Pare!, da autora FML Pepper, publicado pela editora Valentina e um grande sucesso de vendas tanto na versão digital quanto na física.


Autora: FML Pepper
Série: Não Pare!
Editora: Valentina
Páginas: 280
Ano: 2015
Onde encontrar: Skoob Amazon  | Goodreads
Nina Scott não suportava mais a vida nômade e solitária que sua mãe, Stela, a obrigava a ter. Mudar de cidade ou de país a cada piscar de olhos, conviver com tantas perguntas que a consumiam, assombrada por mistérios de um passado guardado a sete chaves. Agora, aos 16 anos, a garota das estranhas pupilas verticais exigia respostas. E, para sua péssima sorte, elas já estavam a caminho! Quando Stela decide ficar em Nova York, Nina acredita que seu sonho de ter uma vida normal vai se tornar realidade. Finalmente terminará o ano letivo em um mesmo colégio, poderá fazer amigos sem ter que abandoná-los em seguida, viver um grande amor, amadurecer, criar raízes... Enfim, curtir a juventude.Mas o “normal” está muito longe da vida de Nina!Perdida no olho de um furacão de mortes e inexplicáveis acidentes, tendo que esconder os terríveis fatos da mãe paranoica, Nina começa a desconfiar da própria sanidade mental, de tudo e de todos. O que explicaria os paralisantes calafrios, a perda de visão e de memória que experimentava sempre que alguém morria ao seu redor? O que ela teria a ver com os bizarros e sobrenaturais acontecimentos? Estariam eles interligados?Seria a Morte sua companheira para toda a vida?É chegada a hora da verdade.
Nina Scott é uma jovem de 16 anos, que nunca morou mais que 3 anos em uma mesma cidade e que é muito azarada, ou pelo menos era o que achava a nossa garota de pupilas diferentes. Ela nunca teve uma vida normal, o normal que ela quer dizer é ir para o colégio e fazer amizades e trabalhar durante o verão (férias escolares). Mas como ela e Stela (sua mãe) sempre ficavam de cidade em cidade, por causa do trabalho de Stela que era sobre um projeto muito importante sobre lentes de contato...

Bom, com essa frequente mudança a única coisa que nunca mudou foi os acidentes que aconteceram ao redor de Nina. No início ela pensou que eram acontecimentos comuns, mas com o passar do tempo ela percebeu que escapara diversas vezes da morte. Ou era o que pensava, até chegar em Nova York. 
Quando Stela disse a Nina que não iriam mais se mudar, e finalmente iriam morar em apenas um lugar, Nina pensou que poderia ser mentira já que com a chegada dos 16 anos os perigos e acidentes ficaram mais frequentes e letais. 
Pela primeira vez em minha vida, daria pra fazer planos para o dia seguinte, começar algo e não ter que abandonar logo em seguida.
Quando Nina foi para o colégio e finalmente percebeu que iria fazer amigos e poderia arranjar um emprego, pensou que era mentira e que em breve poderia passar. Porém, quando ela finalmente fez uma amiga — Melly, e conheceu dois garotos no primeiro dia de aula um misterioso chamado Richard e outro super fofo chamado John. 

Richard foi um personagem que me fez oscilar ente amor e ódio, mas também foi o que mais me surpreendeu. Já John foi aquele personagem que me enganou direitinho do início ao fim. 
Nina sempre quis criar raiz em algum lugar. E depois de conhecer Melly, ela quis procurar a outra coisa que mais queria trabalhar nas horas vagas da colégio. Ela conseguiu um em uma livraria da cidade, e é lá também onde acontece a coisa mais assustadora da vida dela. 
Os poucos amigos que fiz se perderam no caminho, ficaram para trás. Amizade exige presença, e eu não ficava muito tempo em lugar algum.
Depois de um tempo, Nina já estava se acostumando a não ter respostas de sua vida. Após os incidentes que começar a cercar ela ainda mais, ela descobre que ela não é a única a ter pupilas verticais e se sentir em perigo constante.  

Dentro de mim algo sinalizava que havia chegado o momento. Os acidentes anteriores me alertaram, mas não conseguiram me preparar para este terrível momento: minha morte.


Quando Nina começa a entender o que está acontecendo, ela começa a se fazer perguntas do porque tudo aquilo. O porque de ser diferente e não poder viver como toda garota da sua idade, e o porque da sua mãe nunca falar do pai dela para ela. Porque tantos segredos? 
No final o único jeito dela ter suas respostas é indo ao encontro de sua morte.
Tão extraordinária e simples como uma vida que se inicia, Richard era o desfecho surpreendente, o término de uma jornada inexplicável.

Não Pare! é a melhor obra de fantasia que já li, cativante e muito envolvente. Os capítulos são pequenos, e em cada página temos detalhes que nos remetem as características dos personagens. A autora soube inserir alguns plot-twist o que deu um gás na leitura, e não deixou cansativa. Uma das coisas que mais amei no livro, foi os ganchos que a Pepper deixou no final de cada capítulo, esses ganchos deixa o leitor curioso para ler um pouco mais.
Eu havia perdido tudo de mais importante em minha vida, inclusive a paz e a esperança. Tanto fazia agora viver ou morrer. A morte, por sinal, me parecia até interessante.
Com uma capa de arrancar suspiros, nos temos a "Nina" nessa primeiro livro. A diagramação está ótima e as folhas são amareladas, o que não prejudicou em nada durante a leitura.


Os personagens foram muito bem construídos e também muito bem desenvolvidos. Os cenários também foram muito bem descrita e detalhada, o que me ajudou muito na hora de saber onde estavam e como chegaram até ali. 


Abandonada, naquele momento me deparei com o nada no sentido mais amplo da palavra. Não havia nada. Nem ao meu redor, nem na minha vida. Presenteada com um passado de mentiras e um presente de amarguras. Furtada de um futuro com esperança. Se morresse ali, ninguém daria por minha falta. Uma perfeita indigente.


Não Pare!, tem uma narração em primeira pessoa pelo ponto de vista da Nina, o que ajudou na hora de saber os sentimentos da protagonista que a cada momento sofria um pouco mais com tudo que estava acontecendo.
O livro tem 280 páginas, e tem uma ambientação muito distinta, algo que você só vai entender se ler a obra. A autora bem ousada nos detalhes, e não deixou nenhuma ponta solta no final, apenas o gancho que vai nos fazer querer ler a continuação.
Os minutos seguintes pareciam horas, e as horas, dias. A espera de algo ruim é realmente dolorida, lenta.

Eu super recomendo esse livro para quem gosta de suspense e um belo romance. A FML Pepper virou a mais nova queridinha nacional, e tenho certeza que você vai adorar conhecer a sua escrita e como ela faz para nos envolver nessa trama. Eu sei que não contei nem metade do que vocês tanto querem, mas quero que saiba que um minimo detalhe pode estragar a surpresa que a autora preparou para os leitores. 

Richard era um fio de alta tensão desencapado e me eletrocutava de prazer.
Espero que tenham gostado da resenha.
Beijoss, e até a próxima!

Resenha: O Vilarejo, do Raphael Montes


  O PECADO NOS MATA.
Oi oi gente!! Esse livro foi meu primeiro contato com o Raphael Montes, aqui no blog já tem uma resenha do livro dele. Mas hoje vim falar desse: O vilarejo. Com poucas páginas o livro te pega de surpresa, RS. Foi a primeira leitura meio macabra que tive. E porque eu fui ler logo ele? Bom, a história é boa; fala dos 7 pecados capitais. Ira, gula, luxúria, avareza, preguiça e a inveja.


Autor(a): Raphael Montes
Editora: Suma das letras
Páginas: 109 
Onde encontrar: Amazon 

Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.

As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

Ilustrações coloridas dão vida a romance com elementos de horror gótico e suspense Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas.É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome. As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

Primeiro vamos aos pecados? Sim. Vamos!!! Pq Raissa tbm é história minha gente! 
1 - A Gula
Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida.
2 - A Avareza
É o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro.
3 - A Luxúria
A luxúria é o desejo passional e egoísta por todo o prazer sensual e material.
4 - A Ira
A Ira é o intenso e descontrolado sentimento de raiva, ódio, rancor que pode ou não gerar sentimento de vingança. 
5 - A Inveja
A inveja é considerada pecado porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bênçãos e prioriza o status de outra pessoa no lugar do próprio crescimento espiritual.
6 - A Preguiça
A pessoa só quer dormir, não tem ânimo pra nada!
7 - A Orgulho ou Vaidade
Conhecida como soberba, é associada à orgulho excessivo, arrogância e vaidade.



Com 7 contos referentes ao vilarejo cada  se liga no final, é um livro pra ser lido em um dia, dá pra ler em um dia. É muito interessante.  Em cada conto 1 personagem incomum. É demais!! O conto pra mim mais legal foi o da gula. 

A resenha é curtinha porque se eu falar demais dou spoiler, mas iai já leram algo do Rapha? 

BEIJOSS!!

10 CAPAS MAIS BONITAS DA MINHA ESTANTE


Oi oi gente!!
Sabe aqueles livros mais lindos da sua estante que você não cansa de admirá-los? 
Bom, o post de hoje é sobre as 10 capas mais bonitas da minha estante... espero que gostem das fotos do projeto!



 Eu amo essa capa, esse livro eu recebi da autora Alice Raposo, no final do ano passado. E em breve vai ter resenha desse livro...
 Acho que tenho um amor incondicional por essa série. Vocês já sabem, não é?!
 Essa resenha vai ao ar em breve, acho que é o único livro da autora que li. Falta ler os outros dois livros da série. Bom, eu considero essa capa extremamente linda.
 Eu já estou na metade do livro, e em breve vai ter resenha do último livro da duologia Romance em San-Marino, da Lidía Rayanne.
 Essa nova edição da série Outlander, são lindas. Não tem como não gostar, porque para quem leu o primeiro livro, vai saber que essas capas são bem real a história.
Eu ganhei esse livro da minha amiga Letícia, do Ler Com a Leh. Ela me mandou esse livro de presente, e eu achei que foi um dos melhores livros que li em 2018. Em breve vai ter resenha...

Esses foram os livros que escolhi. Sei que não é nem metade dos livros que tinha em mente, mas eu gosto tanto deles...


Espero que tenham gostado...
Beijoss, e até a próxima!

Resenha: Tudo e todas as coisas, da Nicola Yoon

Oi gente, hoje me deu uma vontade de falar de um dos meus tops 3 favoritos da vida!. Tudo é todas as coisas com toda certeza é muito especial pra mim. Ano passado eu o li, mas não tinha resenhado, até que essa semana assisti o filme: gente, eu amo essa história.



Autor(a): Nicola Yoon
Editora: Novo conceito
Páginas: 304
Onde encontrar: Saraiva
Sinospe:  Primeiro lugar na lista de mais vendidos do The New York Times. “Uma história emocionante que sai da mesmice e explora as esperanças, os sonhos e os riscos inerentes ao amor em todas as suas formas.” – Kirkus Reviews Tudo envolve riscos. Não fazer nada também é arriscado. A decisão é sua. “A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente ¬da ¬casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.”





Desde o início essa história me prendeu, Maddy, é solitária.  Desde que sua mãe descobriu sua "doença" ela não pode sair de casa, mas não porque sua mãe não deixa, mas porque ela não pode.

É estranho, é muito estranho. Mas imagino casa leitor lendo esse livro, não tem como não tentar imaginar sendo a Ela, é horrível viver desse jeito. Até que o Olly se torna seu vizinho. E trás cores pra sua vida.

No livro, não se trata só de um romance bobo, é bem construído e graças a Carla, ele flui. Desde o começo eu achava essa doença dela meio RS estranha. Mas aí ela vai viajar com o Olly... ahh é tão bom ler ela sendo feliz! Lá ela fica muito doente, penso até que ela ia morrer! Calma calma ela vive! Olly vai embora, ele é lindo, mas tem problemas com seu pai. Além de lindo por dentro ele é super protetor, e defende sua irmã e mãe com toda sua vida.

No livro, o final é bem rsrs eu não gostei. Mas ainda assim: como estou grata por ter lido esse livro gente!!!!! Eu amei. Adorei. Infartei. Emocionei. Gritei sozinha. Eeeeeeee.

Tava precisando de uma leitura rápida gostosa e cheia de drama igual está. Gente que livro bom, que história linda e tragica ao mesmo tempo??? Mad é tão frágil, tão inocente nesse mundo tão cheio de maldade, o Olly um perfeito cavalheiro.


A vida é um dom, não esqueça de vive-la.

Sobre o filme: me disseram que



O cheiro de livros me dá as boas-vindas imediatamente e eu me sinto em casa. Pode me chamar de Alice, tenho 22 anos (com carinha de 15). Aqui você vai encontrar de tudo um pouco, porque sou uma estudante de publicidade eclética e hiperativa de 6h às 18h.





Colaborador


Busca

Facebook

Seguidores

Arquivos

Populares

Editoras Parceiras 2019

Tecnologia do Blogger.