Resenha: Half Bad da Sally Green


Título:
Half Bad   |   Autora: Sally Green   |   Páginas: 298   |   Ano: 2014   |   Editora: Intrínseca |    Skoob


A história é sempre contada pelos vencedores, dizem... E Nathan, infelizmente, não é um deles. Na Inglaterra em que ele vive, bruxos e humanos dividem o mesmo espaço, sem, no entanto, se misturarem. Mesmo entre os bruxos, há os que se autodenominam bons, puro se justos — os bruxos da Luz —, e há, é claro, seus inimigos, aqueles que devem ser combatidos e aniquilados, a origem de todo o mal — os bruxos das Sombras. Nesse mundo dividido entre mocinhos e vilões, não ter um lado é pecado, e esse é exatamente o caso de Nathan, filho de uma bruxa da Luz com um bruxo das Sombras. É importante dizer que seu pai, Marcus, não é qualquer um, e sim o mais poderoso e cruel bruxo das Sombras que já existiu, acusado de ter matado a mãe de Nathan e de espalhar o terror por onde passa. Vivendo com a avó e os meios-irmãos, Nathan é visto como uma aberração por seus pares e pelo Conselho dos Bruxos da Luz, que enxergam no garoto uma ameaça que precisa ser ou domada ou exterminada. E as coisas só ficam mais complicadas conforme o tempo passa, já que, ao completarem dezessete anos, todos os bruxos passam por uma cerimônia em que seu dom, o poder que carregarão por toda a vida,é finalmente revelado. Nesse momento se definirá se Nathan é um bruxo da Luz ou das Sombras.E o tempo dele está se esgotando.Em Half Bad, acompanhamos a jornada errante e frenética de Nathan para encontrar o pai e, mais importante ainda, sobreviver. Mas como conseguir isso quando cada passo seu é vigiado e ninguém é confiável— nem mesmo a família, nem mesmo a garota que você ama? Com uma narrativa vívida e dinâmica, Sally Green constrói uma história arrebatadora sobre intolerância,racismo e os caminhos tortuosos que todos trilhamos rumo ao amadurecimento.

Half Bad, escrito por Sally Green e publicado pela Editora Intrínseca conta a história do Nathan, um jovem bruxo que vive uma vida sofrida por ser filho de um bruxo das sombras com uma bruxa da luz.
O seu mundo de é dividido entre bruxos da Luz e das Sombras, onde os bruxos da luz são os bonzinhos e civilizados e os bruxos da sombras são assassinos e possuem poderes sobrenaturais, controlando as pessoas e logo depois matando-as.  

O livro todo é ambientado na Inglaterra (o que para muitos passou um ar de Harry Potter). Durante o crescimento de Nathan ele é submetido a alguns testes, ordenados pelo conselho regido por bruxos da Luz. O conselho tem medo do Jovem se tornar igual a sua família paterna pois todos tem um histórico de assassinos muito perigosos. 
Acabam descobrindo que ele é um meio código, metade bruxo da luz (por causa de sua mãe) e metade bruxo das sombras (por causa do pai). 

Mas sei que não adianta torcer por isso. Sei que ela vai ter um dom poderoso, como a maioria das mulheres, e que vai descobri-lo, aperfeiçoá-lo e praticá-lo. E usá-lo. Usá-lo em mim.
Ele vive com a avó e seus irmãos. Nathan não tem muita carinho por parte da avó e nem por parte da meia-irmã, mas tem uma amizade muiito linda com o meio-irmão. Todo Brux que completa 17 anos, ganha um "presente" que nada mas é o seu dom. Esse dom vem em forma de poderes, que quase sempre são únicos. Mas tem um problema, a avó de Nathan parece que não vai dar o seu presente. Não por que não quer, mas porque é que o único parente que pode dar o presente é o seu Pai. Ele terá que correr a trás do cara que não quis ficar com ele quando criança, o cara que matou a sua Mãe, ele tem que achar o cara mais procurado do conselho... Ele tem que achar o seu Pai. 
O truque é não se importar. Não se importar com a dor, não se importar com nada.O truque de não se importar é fundamental. É o único truque da cidade. Só que não é uma cidade. É uma jaula ao lado de uma cabana, cercada por vários morros e árvores e céu.
O livro tem os capítulos divididos em várias partes. Todas diferentes, as primeiras contas como o Nathan foi parar na Jaula onde ele é treinado e vive em carcero de privado. Os próximos capítulos contam como ele foi para a escola e conheceu a Annelise, como ele fugiu do Conselho de bruxos da Luz e como ele está encarando a vida de fugitivo. A autora soube muito bem envolver o leitor nessa trama. Ela separou os capítulos com as fazes da lua, e isso me deixou muito encantada. Um detalhe é que acompanhamos a trajetória de Nathan desde a sua infância na Jaula até a sua adolescência com 17 anos.

Apesar de ser considerado por muitos o pior livro da Sally Green, achei a história fascinante e real, ainda que previsível. A maneira que a história é contada me conquistou, há grandes dramas ou reviravoltas, e é desse jeito nós percebemos os pequenos detalhes, e isso torna alguns trechos muito especiais. Além da questão principal em torno da protagonista: “o que eu sou” ou "o que eu faço agora", o livro aborda outros assuntos importantes como preconceito e buylling. Para mim é uma leitura além de válida, deliciosa!

A história no inicio se discorre de maneira um pouco lenta, comparada aos livros de grande sucesso que já li, e isso é algo que faz muitas pessoas criticarem esse livro, e outros livros dessa autora, mas para mim isso trás mais realidade ao livro.

Half Bad é o livro da Sally Green, sei que nem todos concordam, mas é um livro muito bom para ser o primeiro da série.  O livro é narrado em primeira pessoa pela protagonista do enredo: Nathan. Amei o cuidado que ela teve com livro, principalmente com os inícios de capítulo. A capa é linda e em alto relevo, a diagramação é perfeita e nesses quesitos não tenho do que reclamar. Para quem gostou do livro saibam que ele tem continuação, e faz parte de uma trilogia Half Lies

Half Bad - Você está nessa resenha
Half Wild - Ainda não foi resenhado
Half Lost - Ainda não foi publicado

Se você já leu me conta o que achou do livro. E se ainda não, me diz se você tem vontade de ler. Antes de comentar...  clica em seguir o blog, isso vai me ajudar muito. Obrigada ♥

Tag: #Diferentona

Olá, pessoal! 
Hoje eu trouxe uma TAG bem diferente para vocês: a #diferentona. Ela é bem engraçada e já dei várias risadas respondendo algumas questões. Achei bacana trazer a TAG aqui para o blog, que por sinal, possui questões ótimas.
Não me lembro onde encontrei, nem mesmo o criador ou criadora da tag, mas comentem aí em baixo...

1. Só eu que li? - Um livro que a maioria das pessoas desconhece, mas você leu.
Ink Me- paixão marcada a tinta. Esse livro eu anunciei no instagram e é maravilhoso, ainda não resenhei ele, mas já tirei as fotos da resenha. Ele é um livro que merece ser lido e indicado a todos.
Amazon

2. Só eu que não gostei? - Um livro aclamado, menos por você.

A Culpa é das Estrelas do John Green. Eu não gostei da história do livro. O livro foi tão falado na época que acabei não gostando de nada relacionado a ACEDE :(

3. Só eu que vi apenas o filme? - Um livro que você quer muito ler, mas só assistiu ao filme.
Então...eu assisti apenas os filmes da série Divergente. Li apenas o livro do Quatro, e gostei bastante. Mas não me aventurei nos outros.

4. Só eu que não li nada dele(a)? - Um autor famoso de quem você nunca leu um livro.

Eu já tentei ler "Como Eu Era Antes De Você" da Jojo Moyes, mas acabei abandonando. Muita gente leu por causa do filme...
Eu tenho o livro, mas ainda nem comecei a ler. Li um livro dela (em inglês), mas não considerei para essa categoria.

5. Só eu que gostei do malvado? - Um livro com um vilão (ou não-herói) pelo qual você torceu mais do que pelo mocinho.
Kaden ♥
Ele é o mocinho/vilão da série Crônicas de Amor e Odio. E apenas eu tenho um grande amor por ele. Muitas leitoras gostam do Rafe.

P.S os livro da série é The Kiss Of Deception, The Heart Of Betrayal e The Beauty Of Darkness

6. Só eu que acho que panela velha é que faz comida boa? - Um livro já desgastado, mas que você ama.
Nossaaa. Fui procurar na estante o livro mais antigo e que eu gostava. E achei um livro do colégio que é do Luiz Veríssimo. Nunca mais peguei nele, mas me lembro que ri bastante de alguns textos.

7. Só eu que leio nacionais? - Um autor nacional que você adora.
O livro do Matheus Rocha, Thalita Rebouças, Carina Rissi, T.J . Diniz, Manu Rolim e Ivanka. Não pude deixar de citar os meus autores favoritos do ano de 2016. Eu não vou citar nenhum livro especifico porque adoro todos...

6. Só eu que amo clássicos? - Um livro clássico que você gostou.

Persuasão da Jane Austen. Eu li alguns livros da autora, mas esse não me agradou muito. Creio que é o único clássico que li e não gostei.

7. Só eu que li antes de virar filme? - Um livro que foi/vai ser adaptado para o cinema e você leu antes.

A Esperança da saga Jogos Vorazes. Foi o único livro da saga que li antes de assistir o filme. Os outros eu assisti primeiro e li depois.

8. Só eu que odiei o (a) principal? - Personagem principal que você odiou.
Uma personagem do livro Boston Boys da Giulia Paim. Ronnie Adams faz você odiá-la do inicio ao fim do livro. Ela é aquela garota legal, mas faz coisas irritantes de vez em quando. 
Foto: DayDream

Amei responder essas questões. Então vou indicar alguns blogs, espero que respondam e gostem tanto quanto eu!


Semi Tributo  ♥  Leitora Cretina     Balaio de Babados  ♥   Gnoma Leitora   ♥  Sankas Books

Eu não coloquei tantas fotos nessa tag, por que sempre encho de fotos e quase não respondo. Mas agora dei uma harmonizada e espero que tenham gostado.

Ahhh, e Feliz Natal meus amores, muito obrigada por acompanharem o blog. 

Sou Alice Mendes, tenho 21 primaveras e sou Pernambucana. Aqui você encontra um pouco de tudo que eu mais amo no mundo: livros, seriados, filmes, fotografia e muito mais ;)

Sorteio

Busca

Facebook

Seguidores

Arquivos

Populares

Editoras Parceiras 2019

Tecnologia do Blogger.

FADA SCRAP FESTA