Resenha: O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida da Kate Eberlen


Autora: Kate Eberlen  |  Editora: Arqueiro   |    Páginas: 432   |   Ano: 2016  |  Skoob

Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda.E pode ser que nunca se encontrem... Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado.Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade... ou será que não?O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

Separados pelo destino...
E pode ser que nunca se encontrem...

Nos primeiros capítulos somos apresentados a Tess, ela está com 18 anos e viajando com a amiga Doll na Itália. Ela recebeu as notas da escola e viu que da para entrar na faculdade que tanto sonha. Tudo está em perfeito, até ela chegar em casa e se deparar com a mãe doente. 
A partir daí Tess percebe que, vai parar de sonhar tanto. Ela precisa cuidar da irmã mais nova Hope, porque o seu pai não liga para elas. Assumir todas as responsabilidades...

Também encontramos Gus de férias, mas agora com a família. Gus não está muito feliz com essa viagem já que iria com um amigo, mas e ultima hora não foi. Ele acabou indo com o Pai. Ele infelizmente perdeu o irmão mais velho a algum tempo atrás. A sua relação com o Pai não é das melhores e ainda por cima, está com dúvidas se vai cursar Medicina ou não. Já que é o Pai que insiste tanto que ele siga a carreira da família.

Tess e Gus já se cruzaram uma ou duas vezes na Itália. E também outras vezes na rua, mas nunca prestaram atenção. O livro é de uma trama sem tamanho, mas carrega esse pequeno suspense se os personagens vão se cruzar ou se conhecerem.

O livro é narrado em primeira pessoa, e isso ajudou bastante na construção dos personagens. A história se passa durante uns 16 anos (mais ou menos), e durante esse tempo vamos vendo a tragédia dos personagens. Fiquei com o coração na mão esperando o momento deles se encontrarem, mas a autora esperou até o último minuto para falar o que ia acontecer com eles.

O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida foi a melhor obra que Kate Eberlen fez. Ela soube nos envolver do inicio ao fim, com a história dramática de uma garota que perdeu a mãe e se abdicou dos sonhos. E de um garoto que perdeu o único irmão, e seguiu uma vida sem grandes emoções. Nós podemos nos identificar com Tess e Gus. Quantas vezes você não se esbarrou em um garoto ou garota que depois de um tempo se tornaram namorados ou até melhores amigos. 

P. S A história se discorre de maneira um pouco lenta, comparada aos livros de grande sucesso, e isso é algo que faz muitas pessoas criticarem esse livro, mas para mim isso trás mais realidade ao livro. O livro lembra Essa Luz Tão Brilhante, que também foi publicado pela editora Arqueiro. 

Entrevista com Li Mendi


Olá pessoal. 
Hoje temos a Li Mendi aqui no Enjoy Books.Ela vai falar um pouco de sua rotina e do seu trabalho. 

1 – O que te inspirou a escrever o seu primeiro livro? E o que te fez seguir com a carreira de escritora?

Escrevo livros acho que desde os quatorze, quando pensei em ser escritora. Na época, não havia internet, nem blogs. Todas as estórias ficavam registradas em cadernos, que se perderam nas mudanças. Depois, a praticidade do Word me fez esquecer a letra bonita e comecei a imprimir e encadernar os livros. Os amigos curtiam e o ciclo era pequeno de leitores. Mas, felizmente, a internet lá por 2000, me trouxe um mundo de gente pra conhecer meus romances. É assustador ver mais de 10 mil visitas em um livro e mil downloads de outro... 
O processo solitário agora é dividido com centenas de pessoas.
Até eu terminar a faculdade de jornalismo, havia horas a fio pra gastar teclando. Depois, veio a faculdade de publicidade, a pós-graduação, o trabalho frenético como publicitária e pronto, me peguei com saudade de escrever. Nesse meio tempo, quero dizer, nesse zero tempo, consegui fazer o meu primeiro lançamento impresso: O amor está no quarto ao lado. Em 2012, veio "A Verdadeira Bela" e depois publiquei também Coração de Pelúcia e Alma Gêmea por Acaso e O Mestre do Amor (meu primeiro hot). Lancei O Cozinheiro do Amor na Bienal de São Paulo agora em 2016. 
Escrever sempre foi meu prazer, minha paixão, realização, tudo. O fascínio pelo mundo da fantasia se deu já nos primeiros anos de vida. Meus sonos eram embalados pelas incríveis aventuras narradas por meu pai, um excelente contador de fábulas.
Comecei com um pequeno projeto aqui na net, chamado Cada Casa um Caso. Era um hobby produzi-lo. As pessoas gostaram tanto e comentavam mensagens de incentivos que decidi continuar. Hoje, tenho vários livros disponíveis no meu site abertos e os leitores se reúnem em um grupo do Facebook para discuti-los. Os fóruns são acalorados e muito divertidos. Rio demais com as tiradas, fotos e debates.
Na última Bienal do RJ, encontrei muitos fãs que me abraçaram com carinho e contaram sobre a emoção de me ver e pegar o meu autógrafo. Isso é tão gratificante. São eles que me dão força pra continuar todas as madrugadas à dentro.

3 - Qual foi o maior desafio que você encontrou na carreira de escritora até o momento?

Acho que a crise no Brasil este ano dificultou muito o acesso literário. O livro ainda é um bem caro para a maior parte da população. Tentei fazer o melhor que pude através de promoções.

4 - Quais são os seus próximos projetos? 

Estou escrevendo um romance novo adulto que não posso contar muito ainda, porque dessa vez quero criá-lo inteiro e só depois divulgar. Quero menos pressão de tempo e eventos e me divertir mais criando.

5 - Como você lida com os elogios/críticas dos leitores?

Eu aprendi a gerenciar melhor o acompanhamento. Não leio todo dia, reservo um dia da semana para responder o que posso, o volume é grande. Mas, quando estou criando algo novo, procuro deixar as críticas um pouco de lado para não me influenciar.

Eu procuro respeitar as opiniões, mas, já tive alguns casos de blogueiros que escreveram textos muito desrespeitosos e grosseiros. Alguns sobem em um pedestal e tentam parecer os deuses da razão. Quando percebo isso, dou menos crédito. Não acho que ninguém é bom demais que possa escrever em seu site coisas tão cruéis sobre artistas que estão batalhando e dando todo o suor pra divulgar seu trabalho.

Procuro ouvir bastante e anotar. Na segunda edição de alguns livros fiz revisões, alterei e melhorei em cima de algumas críticas construtivas recebidas. Tenho o coração aberto para boas conversas inteligentes.

6 - O que você gosta de ler? Indicaria qual livro para seus leitores?

Já li muito romance. Hoje, leio bastante livros de psicologia, comportamento humano e autoconhecimento. No sábado, comprei “Subliminar” do Leonard Mlodinow. Mas, adoro crônicas como a de Rubem Alves de “O retorno e Eterno”.

7 -  Quem você admira no mundo literário?

Rubem Alves, ele sabe filosofar como ninguém. Uma pena não estar mais entre nós.


8 - Qual é a sua parte favorita no processo de escrita de um livro?

Escrever em silêncio, porta fechada, sem a interferência de ninguém. Ali eu perco o tempo e me esqueço... 

Antes tem a preparação do roteiro, construção das personas. Depois, tem as muitas revisões, diagramação, testes de impressão, boneca. Ai vem a divulgação, venda etc. Tudo isso é burocrático e demanda tempo, energia, paciência e perseverança.
Mas, quando eu escrevo, estou ali só para assistir as cenas que acontecem em minha cabeça e traduzi-la para palavras.

9 - Como você administra a sua rotina com o Blog e seu trabalho?

Eu trabalho até tarde e chego cedíssimo na empresa. Então, procuro usar fim de semana, horário de almoço ou algum dia na semana de noite. Tenho bem pouco tempo agora. Mas, quando você faz algo que ama, o tempo aparece. Não é que a gente não tem tempo na vida. Isso não existe. O que a gente tem é prioridade ou não. E se é importante pra você, dará prioridade (tempo).

Bate e Volta:

Um sonho? 
Trabalhar de casa como consultora e poder conciliar com meu trabalho de autora. Nem vou sonhar tão alto de só viver de escrever rs, que isso seria um big sonho rs.

Um livro? 
O retorno e Eterno do Rubem Alves.

Um filme? 
O Curioso Caso de Benjamin Button

Um seriado? 
(#ohmygod! Vejo tantos, vou dizer o mais recente) Black mirrow (Ep1 T3 demais!) 

Um lugar? 
Praia do Lorde na Bahia. Uma praia deserta, com água quente e cristalina, cheia de peixes coloridos. 

Um autor (a)? 
Machado de Assis.

Uma frase? 
Aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira.
Cecília Meireles 
Para saber mais dos livros da autora e sobre o seu trabalho. Eu vou deixar o link de cada rede social.

Então é isso gente. Espero que tenha gostado, beijoss e até a próxima.

Sou Alice Mendes, tenho 21 primaveras e sou Pernambucana. Aqui você encontra um pouco de tudo que eu mais amo no mundo: livros, seriados, filmes, fotografia e muito mais ;)

Sorteio

Busca

Facebook

Seguidores

Arquivos

Populares

Editoras Parceiras 2019

Tecnologia do Blogger.

FADA SCRAP FESTA