Resenha: No meio do caminho tinha um amor ♥



Leia com carinho. Foi de coração para coração. O seu. Antes que eu me esqueça, alguém precisa ser sincero com você. E eu...Ah, eu provavelmente serei.

Nós iniciamos a leitura com essa frase magnífica e sincera do Matheus. Se você acho ela linda então se prepare pois ela é a primeira de muitas que encontramos no livro. Vamos a resenha!?

Autor: Matheus Rocha  ♥   Ano: 2016   Páginas: 176      Editora: Sextante
Sinopse:  Às vezes, a gente insiste em viver um relacionamento que já chegou ao final faz tempo. Tentamos resistir, fazer de tudo para durar mais, lutando para trazer de volta os momentos mágicos do início. Mas, quando o amor acaba, no lugar do conforto e do carinho que existiam só restam feridas que vão doer por um bom tempo e deixar cicatrizes que não desaparecerão. Porque o amor nem sempre é para sempre. 
Com o fim vem a tristeza, a saudade, a mágoa, o desespero e a vontade de nunca mais sentir aquela dor. Aí fechamos as portas ao perigo de sermos machucados outra vez, mas também à chance de sermos amados de novo.
Um belo dia, quando as lágrimas já secaram e nos esquecemos do desconforto, com muito cuidado abrimos uma fresta só para ver a vida lá fora. E, assim como um raio de sol que entra por qualquer brecha, de repente uma vontade de recomeçar nos invade e tudo volta a fazer sentido. E, sem nem saber como, no meio do caminho avistamos novamente o amor – e a certeza de um novo começo!
Não conhecia o autor do livro Matheus Rocha, mas já tinha ouvido falar nas redes sociais sobre o seu blog Neologismo. Lá ele aborda assuntos que variam entre amor, amizade, sonhos e vida. Ele fala sobre viver. Sobreviver. Com suas criações, dá vazão à sua missão de ajudar as pessoas a encontrar conforto, e talvez alguma lógica e afeto, em toda a confusão que é inevitável na vida de qualquer ser humano.

O Autor tem um dom para a escrita, em cada palavra ele deposita uma emoção, uma sensação que ele está sentindo e quer que o leitor também sinta. 

O livro foi dividido em três partes: começo, meio e fim. Começamos a ler pelo fim – o fim do relacionamento, do encantamento, da paixão. Aos poucos, a dor dá lugar à esperança até que o começo de um novo romance se anuncia.
Eu achava que o amor existia, mas não era pra mim. Você foi a prova que eu estive errado por muito tempo!
O livro é um misto de emoções, enquanto lia me lembrava do meu primeiro namoro e também do namoro da minha irmã que passou por todos os estágios do livro Começo, Meio e Fim. Para quem viu as minhas postagens no instagram viu quando eu disse que a minha irmã amou o livro, agora quero que saibam que esse foi o primeiro livro que ela leu sem ninguém força-la. Também falei sobre o livro para uma amiga e ela gostou tanto da escrita do Math que ela comprou no mesmo dia.

De todas as coisas mais gostosas que a vida já me proporcionou, você foi a melhor das provas de que eu estive errado durante muito, muito tempo. É que eu dizia aos quatro ventos, passeando por todos os cantos do mundo, e diante das mais diferentes testemunhas, que o amor existia, mas ele não era pra mim. Tinha certeza absoluta de que nunca esse sentimento puro, forte, intenso e sinestésico iria sorrir pra mim. No máximo, iria acenar de longe, estar no mesmo espaço, cruzar comigo numa dessas avenidas abarrotadas de pessoas, no ônibus, no metrô, no avião, em qualquer canto. Menos dentro do meu abraço.

Em 50 textos inspiradores, Matheus Rocha conduz o leitor pelos caminhos tortuosos do amor, abordando o rompimento, a saudade, o medo da entrega, a necessidade de seguir em frente e as dores e delícias de se apaixonar novamente. Aliando um texto sensível a belas ilustrações do Phellipe Wanderley.



Sem contar que No meio do caminho tinha o amor tem uma das capas mais lindas do mundo literário! ♥ Fiquei super babando nessa capa linda!  Então, no geral, o livro ganhou o coração de todos que leram. E agora entrou para a lista de favoritos :3 
Então, se ainda tinha dúvidas se devia ler ou não a obra, começa a ler logo, porque você vai amar ♥

Resenha: Cidades de Papel


Título: Cidades de Papel  ♥  Autor (a): John Green    Páginas: 368  ♥  Editora: Intrínseca
Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Quentin Jacobsen nutre um amor platônico (Amor platônico também pode ser um amor impossíveldifícil ou que não é correspondido.) por Margo Roth Spiegelman, que além de vizinhos e estudarem na mesma escola, já foram amigos quando crianças. 
Mas isso foi antes de encontrarem um homem morto no parque, antes de crescerem e deixarem de ser amigos, antes de... Antes de Margo virá Margo Roth Spiegelman a garota mais popular da escola.

Quentin é um jovem que está no seu último ano da escola preste a se forma. Q não é mas amigo de Margo, ele virou amigo do Ben e do Radar. Que são aqueles amigos que você pode contar pra tudo.

Em uma certa noite Margo entra pela janela do quarto de Q toda vestida de "ninja" e pedi as chaves do carro dele (Que na verdade é da mãe dele, mas isso não vem ao caso agora), ela diz que tem 9 coisas para fazer naquela noite e precisa de um carro para realizar cada uma delas. Quentin como bom "vizinho" acaba indo com ela para servir como motorista e cumplicie.

Após se aventurar pela cidade com Margo, Quentin pensa que no dia seguinte será diferente, já que ele e Margo tiveram a maior aventura da vida deles na noite passada.
Na escola Quentin percebi que Margo não apareceu, mas como é da Margo que estamos falando, ele pensou ela deveria está fazendo alguma loucura por aí. Mas assim que chega da escola ele descobre que a família Spiegelman está procurando por Margo. 

No passar dos dias Q fica pensando se Margo vai voltar, já que essa não foi a primeira vez que ela fugiu, nas outras vezes ela voltou. Mas será que ela vai voltar?.

Ele descobre que Margo tem o habito de deixar pistas do seu destino.E à partir destas pistas deixada por Margo que Quentin entra em uma grande aventura com os amigos Radar, Ben, Lancey e Angela. Encontrar Margo Roth Spiegelman.
Essas são as palavras de uma garota de papel, que vive em uma casa de papel, em uma cidade de papel e vive a sua vida de papel.
A narrativa é leve e a história é cercada de mistérios. O enredo é bem engraçado (eu rir bastante com os amigos do Q. Quando iniciei a leitura fiquei admirada com a Margo, e como a aventura mudou Q, mas depois do desaparecimento da própria a história ficou arrastada, e ficou entediante. O autor volta a caprichar na escrita e envolve o leitor novamente, assim que Quentin descobre onde Margo pode está de fato.

O livro é bem completo, ele aborda o tempo todos as relações familiares, principalmente entre os pais e seus filhos adolescentes. 

Então é isso pessoal, espero que gostem e me falem dos outros livros do John que vocês leram! E, se ainda tinha dúvidas se devia ler ou não a obra, começa a ler logo, porque você vai amar ♥

Sou Alice Mendes, tenho 21 primaveras e sou Pernambucana. Aqui você encontra um pouco de tudo que eu mais amo no mundo: livros, seriados, filmes, fotografia e muito mais ;)

Busca

Facebook

Seguidores

Arquivos

Populares

Editoras Parceiras 2019

Tecnologia do Blogger.